O que é Treinamento Funcional

    0
    63

    O que é Treinamento Funcional? Provavelmente você já ouviu falar sobre esta modalidade de exercícios. Mas você sabe para o que ele serve realmente? Quais os seus benefícios e outros detalhes sobre esse treino praticamente revolucionário? Continue lendo este artigo preparado pelo portal Setup Cursos Digitais e saiba tudo sobre este tipo de treino.

    Bom, o Treinamento Funcional pode ser feito de maneiras variadas, com ou sem aparelho. A sua origem não é exata, pois essa técnica é ampla e muitas práticas podem ou não ser consideradas um Treinamento Funcional.

    O que é Treinamento Funcional

    Para se ter uma noção melhor sobre a definição de Treinamento Funcional, os profissionais da área consideram que as práticas que têm como objetivos trabalhar o corpo e a mente podem ser chamadas de funcionais. Além disso, é importante saber que o Treinamento Funcional não deve priorizar a estética do corpo apenas, mas também a mente, assim como a saúde.

    Outra característica dos treinamentos funcionais é que eles costumam ser baseados nos movimentos que fazemos no nosso dia a dia. Isso é uma grande vantagem para quem pratica o Treinamento Funcional, pois não é preciso desgastar-se levantando pesos ou praticando exercícios aeróbios exaustivos – já que não são todas as pessoas que apreciam exercícios tradicionais ou mesmo possuem limitações.

    Dessa forma, pode-se considerar que o Treinamento Funcional exige do praticamente tudo o que uma maratona de exercícios convencionais exige (respiração, resistência, força, etc.). No entanto, nos treinamentos funcionais, costumamos não perceber o esforço que fazemos nos exercícios mais comuns, nos cansando menos, mas tendo os mesmos benefícios e outros.

    Outra grande vantagem do Treinamento Funcional é que os exercícios adotados são de baixo impacto. Isso é importantíssimo, pois evita lesões e torções, por exemplo.

    O Treinamento Funcional ainda não tem praticamente contraindicações. Além disso, pode ser praticado por pessoas que já possuem lesões ou dores, ajudando a reduzir esses incômodos com os exercícios dessa prática.

    Por outro lado, se beneficia também que quer tonificar o corpo. Mesmo sendo um treino que não leva o praticante a exaustão, os exercícios desse treinamento fortalecem a musculatura, define o corpo e, até mesmo, ajuda na perda de peso.

    Ginástica funcional

    Como já mencionado, o Treinamento Funcional visa também trabalhar a mente. A sua prática promove o bem-estar.

    A ginástica funcional pode ajudar muito, por exemplo, na redução do estresse. E olha que esse problema tem uma grande dimensão atualmente.

    Em 2018, por exemplo, a renomada entidade norte-americana, International Stress Management Association, realizou um levantando e o publicou. Nessa pesquisa, o Brasil apareceu como o 2º pais do mundo com mais pessoas sofrendo de estresse.

    O Treinamento Funcional também é um excelente acompanhamento para pessoas com problemas emocionais/mentais, como a ansiedade, a depressão, entre outros. Além de respeitar o ritmo do praticamente (algo importante para quem está sofrendo de estresse ou outros problemas emocionais/mentais), a prática regula a atividade de neurotransmissores como a dopamina, a serotonina e a noradrenalina – que estão diretamente ligados à nossa saúde e bem-estar emocional.

    Obviamente, não é apenas nos casos citados que o Treinamento Funcional é benéfico. Pessoas sem maiores problemas tem a sensação de prazer e satisfação aumentada com a prática, o que beneficia o ser humano de forma integral. 

    Agora que você já entende o que é treinamento funcional, precisa conhecer agora os seus reais benefícios. Confira abaixo.

    Benefícios do Treinamento Funcional

    Para se ter uma ideia ainda melhor, confira, a seguir, os principais benefícios do Treinamento Funcional para o corpo, a saúde e a mente:

    1. Fortalece o corpo: o Treinamento Funcional é uma ótima forma de fortalecer os músculos, sem levar o praticante à exaustão. Isso porque os exercícios adotados nessa prática são mais completos que aqueles usados em academias.
    2. Postura correta: a prática também ajuda a manter a postura correta durante o treino e fora dele. Os exercícios estimulam que a pessoa se mantenha sempre com a coluna na posição correta, por exemplo. Com isso, além de conquistar uma bela postura, o Treinamento Funcional contribui para evitar problemas de dores provenientes da postura incorreta.
    3. Fortalece a musculatura do abdômen: pessoas de qualquer idade vivem atrás de práticas que fortaleçam essa região do corpo, que realmente é uma das mais difíceis de se enrijecer. Sem sequências cansativas de exercícios abdominais, o Treinamento Funcional ajuda muito que os músculos abdominais ganhem tônus e força. E isso vai além do estético, pois com o abdômen “em dia”, a pessoa também tem muito mais capacidade de a postura corporal correta, além de evitar dores nas costas.
    4. Não é cansativo: o Treinamento Funcional permite exercícios variados, que podem mudar a cada aula. Assim sendo, a prática não se torna repetitiva – o que faz o índice de desistência dos praticantes ser bem menor do que em outras atividades físicas.
    5. Fortalece o coração: os exercícios suaves de respiração e de movimentos não parecem contribuir para isso, mas tenha certeza de que o coração se torna mais fortalecido com a prática do treino funcional. O praticamente aumenta a resistência cardíaca e, com isso, tem mais facilidade para encarar atividades aeróbicas, além de reduzir riscos de problemas cardíacos em geral.
    6. Ajuda a emagrecer: novamente, a naturalidade do Treinamento Funcional pode parecer que não contribui para a perda de peso. No entanto, a prática promove, sim, a queima de calorias e, e consequência, de gorduras – além de aumentar a massa magra corporal.
    7. Saúde mental: como já mencionado, o Treinamento Funcional impacta positivamente na nossa saúde mental/emocional, devido a regulação das atividades dos neurônios. Dessa forma, a ginástica ajuda no combate ao estresse. à depressão e à ansiedade, entre outros. Aumenta também o nosso bem-estar e auxilia nas atividades cognitivas, como: memória, percepção, raciocínio lógico, entre outras.
    8. Aumenta a consciência corporal: pode não parecer importante, mas ter consciência corporal faz diferença na nossa vida. Quanto mais sabemos sobre o nosso próprio corpo, mais aprendemos a utilizá-lo corretamente.
    9. Promove a flexibilidade e o equilíbrio corporal: tais habilidade podem não parecer tão importante, em um primeiro momento, mas elas são essenciais para a boa saúde corporal. Com essas habilidades otimizadas, há menores riscos de quedas, fraturas, etc. Isso faz do Treinamento Funcional uma excelente prática também para os idosos, que possuem a flexibilidade e o equilíbrio corporal restritos em razão do avanço da idade;

     O Treinamento Funcional e a Calistenia

    Embora as origens do Treinamento Funcional não sejam exatas, uma técnica pode ser considerada uma grande influência na prática funcional. Trata-se da Calistenia.

    A Calistenia, para quem não sabe, se trata do nome conferido a atividades corporais que se utilizam do corpo da própria pessoa na prática dos exercícios físico. Na Calistenia, por exemplo, não há uso de pesos ou equipamentos.

    A Calistenia é uma prática que teve seus princípios na França, por volta de 1820. A sua difusora foi Phokion Heinrich Clias, que aprimorou as técnicas e as levou para outros países, através de suas “seguidoras”.

    Principais exercícios do Treinamento Funcional

    Não basta apenas você saber o que é treinamento funcional e quais os seus benefícios. É muito importante que você conheça quais os exercícios relacionados a este treino.

    Alguns exercícios são comuns na prática do Treinamento Funcional. Conheça os principais deles e as suas funções:

    1 – Prancha

    Esse exercício exercita a região abdominal, dando mais tonicidade muscular à área. Para executá-lo, a pessoa deve se manter em uma posição flexionada, com os braços afastados e esticados. A base é a distância entre os ombros do próprio praticante.

    Contrai-se o abdômen e encosta-se a mão direita no ombro esquerdo. Depois de permanecer cerca de 30 segundos nessa posição, o movimento é repetido, porém, ao contrário: mão esquerda no ombro direito. Vá aumentando o número de sequências conforme for adquirindo resistência.

    Preste atenção para que os quadris não se movam demais.

    2 – Correr com elevação dos joelhos

    Um exercício simples, mas muito benéfico para as pernas e o coração. Simule uma corrida, correndo no lugar por 30 segundo. Simultaneamente, erga os joelhos a 90 graus todas as vezes que levantar as pernas.

    3 – Agachamento

    Afaste as pernas usando como base a distância entre os ombros. Coloque as mãos na nuca.

    Agora, se agache o máximo que conseguir, suavemente. Enquanto se abaixa, leve os quadris para trás. Quando estiver com os joelhos flexionados, dê um leve salto e desça, mantendo os joelhos dobrados ainda.

    Esse exercício é muito benéfico para os quadris e a postura. Faça-o durante 20 segundos e aumente o tempo gradativamente.

    4 – Salto

    Mantenha de pé e com as pernas afastadas. A distância entre as pernas deve ser proporcional à distância de seus ombros.

    Nessa posição, salte e levante os seus joelhos em direção ao seu peito. Exercício que promove o equilíbrio, elasticidade e fortalecimento cardíaco.

    Faça o exercício por 30 segundo e vá aumentando com a prática;

    5 – Descida

    Coloque as mãos na cintura e posicione uma perna na frente da outra. Depois, dobre os joelhos levemente para frente, de forma que se forme um ângulo de 90 graus.

    Desça e quando estiver na descida, salte levemente e troque as pernas no ar. Por exemplo, se foi posicionada a perna esquerda na frente da direita, mude essa sequência no ar.

    O exercício pode ser praticado durante 20 segundos e ter o tempo aumentado conforme for adquirindo resistência.

    6 – Abdominal

    Deite-se de bruços e posicione os braços atrás da cabeça. Nessa posição, erga as suas pernas até que formem um ângulo de 45°. Agora, eleve o tronco suavemente. Atenção! Não force!  Também não aplique força no pescoço e não mova as pernas.

    Execute o exercício por 20 segundos. Pode aumentar o tempo de forma gradativa.

    7 – Cruzado

    Coloque as mãos e os pés no chão e, de barriga para baixo, eleve o tronco. Com o tronco elevado, tente levar o pé esquerdo até a mão direita, movendo somente a perna. Volte a posição inicial.

    Faça o exercício por 20 segundos e depois mude o movimento: pé direito e mão esquerda. Mantenha a região abdominal contraída.

    Há desvantagens no Treinamento Funcional?

    Na verdade, as desvantagens não estão diretamente ligadas a prática do Treinamento Funcional. O que pode acontecer é o azar da pessoa realizar o treino com instrutores mal preparados ou desqualificados.

    Ainda, há locais que apresentam atividades como Treinamento Funcional, entanto elas não são… preste atenção, então, nos métodos usados pelo lugar onde praticar esse treinamento!

    E aí, o que achou sobre este artigo completo sobre o Que é Treinamento Funcional, preparado pela equipe do portal Setup Cursos? Compartilhe este artigos com seus parentes e amigos. Desta forma, você estará contribuindo com o nosso Portal e estaremos sempre motivados a criar cada vez mais conteúdo de alto valor agregado para todo mundo.

    Agora que você já sabe o que é treinamento funcional e quais os seus benefícios, poderá também fazer parte deste mundo revolucionário que proporciona só resultados positivos para as pessoas. Se você está em busca de conhecimento ou aperfeiçoamento sobre Treinamento Funcional e como ter uma vida saudável, confira abaixo o link de um curso completo e abrangente sobre este tipo de treino.

    Curso completo de Treinamento Funcional

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Digite o seu comentário
    Por favor digite o seu nome